O Jogo Perigoso das Vítimas Profissionais
profissão Vítimismo
Tente Imaginar Isso: O Cenário Inicial

Imagine-se em um relacionamento onde você é constantemente culpado por tudo. Seu parceiro nunca assume responsabilidade, e você acaba cedendo apenas para evitar mais um conflito. Se essa situação lhe soa familiar, você pode estar lidando com um lobo vestido de ovelha.
O Jogo das Vítimas
Não se deixe enganar. Vítimas profissionais não são verdadeiras vítimas. O termo "jogo das vítimas" refere-se à fabricação de vitimização por diversas razões. Isso pode incluir justificar comportamentos abusivos, manipular os outros, empregar estratégias de enfrentamento ou buscar atenção. Se você está pensando, "Isso soa exatamente como o que os narcisistas fazem," você está absolutamente correto.

O Verdadeiro Eu e o Falso Eu
O psicanalista Donald Winnicott argumentou que narcisistas desenvolvem um "falso eu" na infância como mecanismo de defesa contra a falta de sintonia emocional dos pais. Este "falso eu" é uma persona construída sobre relações falsas e introjeções que mascaram um "vazio estéril por trás de uma fachada independente." Neville Symington, outro psicanalista, acredita que esse falso eu leva a um "sentido permanente de vitimização," que, por sua vez, dá origem à vítima profissional.
O Poder da Vitimização
Contrariamente à percepção popular, interpretar a vítima pode ser uma posição de grande poder nas relações interpessoais. Na realidade, a vítima profissional é frequentemente o agressor, especialmente se possuir traços de narcisismo, transtorno de personalidade limítrofe, ou psicopatia. Eles usam essa posição para manipular, explorar e controlar suas verdadeiras vítimas.
Macacos Voadores e Táticas de Abuso
Esses agressores contam com "macacos voadores," ou facilitadores, que protegem e defendem o agressor enquanto atacam a verdadeira vítima. Se você acha que isso soa como um conto de fadas, pense novamente. Narcisistas e outras vítimas profissionais mantêm você emocionalmente refém usando táticas de abuso como mudança de culpa, gaslighting, e o famoso NVAR (Negar-Vitimar-Atacar-Reversão de Agressor) ou o MOC (Medo, Obrigação, Culpa).
Um Jogo Sem Vencedores
Vítimas profissionais se envolvem em um ciclo interminável de culpabilização. Lidar com esses indivíduos pode ser extremamente tóxico. Este não é um jogo que você pode ganhar, independentemente dos fatos que você apresente ou da lógica de seus argumentos. Na verdade, é um jogo que você nem deveria querer jogar.
Ao explorar esses conceitos, este blog visa fornecer uma compreensão mais profunda dos mecanismos psicológicos por trás das relações abusivas e narcisistas. A consciência é o primeiro passo para a mudança, e entender essas dinâmicas pode ser a chave para romper o ciclo de abuso.
Back to Top